Arqueólogos acham banheiro de luxo de 2.700 anos

Arqueólogos israelenses descobriram recentemente um banheiro privativo de 2.700 anos. A descoberta foi desenterrada no calçadão Armon Hanatziv de Jerusalém, dentro das ruínas de um palácio acima da Cidade Velha.

É uma descoberta rara, já que há milhares de anos latrinas privadas “foram encontradas em poucos lugares em Israel e Jerusalém”, disse Yaakov Billig, arqueólogo e diretor da escavação em nome da Autoridade de Antiguidades de Israel, em um vídeo postado no Facebook.

O banheiro foi esculpido em uma rocha de calcário e consiste em um assento com uma abertura no meio. Localizado acima de uma pia, fica dentro de uma cabana retangular que provavelmente era um banheiro antigo.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Arqueologos-acham-Banheiro-de-luxo-com-purificador-de-ar-de-2.700-anos.jpg

Os arqueólogos também identificaram entre 30 e 40 tigelas, informa o Haaretz. Especula-se que elas poderiam ter sido usados ​​como recipientes para óleos aromáticos ou incensos que teriam servido como uma espécie de purificador de ar.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Arqueologos-acham-Banheiro-de-luxo-com-purificador-de-ar-de-2.700-anos.jpg

Junto ao banheiro, a equipa identificou indícios da existência de um jardim de árvores ornamentais, fruteiras e plantas aquáticas, de onde podem ter sido extraídos os ingredientes para fazer o hipotético purificador de ar.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Arqueologos-acham-Banheiro-de-luxo-com-purificador-de-ar-de-2.700-anos.jpg

Os arqueólogos coletaram amostras de ossos de animais e cerâmica, bem como solo encontrado na fossa séptica sob o banheiro, na esperança de aprender sobre o estilo de vida, dietas e doenças da época.

Comente