Cientistas descobrem como reverter a obesidade visceral

Obesidade visceral é considerada a variante mais perigosa de todas e refere-se à gordura intra-abdominal, depositada no bordo das vísceras, nomeadamente no bordo do intestino, no peritoneu e na superfície ventral dos rins. Diversos métodos têm sido propostos para avaliação da distribuição da gordura corporal.

Cientistas descobrem como reverter a obesidade visceral

Uma equipe conjunta das universidades da Pensilvânia e de Washington descobriu acidentalmente que o TSLP (linfopoietina estromal tímica) induz a perda de peso sem necessidade de dieta ou exercício físico; o estudo já foi publicado na revista Science.

No experimento com ratos de laboratório obesos, tratados com linfopoietina estromal tímica, eles apresentaram uma perda de peso de mais de 40% em apenas quatro semanas, sem dieta ou aumento de exercícios

Cientistas descobrem como reverter a obesidade visceral

Os autores injetaram em roedores obesos, alimentados com uma dieta rica em gordura, um vírus adeno-associado que aumenta os níveis de linfopoietina do estroma tímico.

Após 28 dias, descobriu-se que o TSLP reverteu a obesidade nos roedores submetidos ao experimento, enquanto o outro grupo de ratos continuou a ganhar peso. Durante esse tempo, aqueles que receberam citocinas reduziram seu peso inicial de 45 gramas para saudáveis ​​25 gramas, embora comessem de 20 a 30% a mais. O nível de atividade de todos eles era o mesmo.

Cientistas descobrem como reverter a obesidade visceral


Mais importante ainda, o primeiro grupo perdeu gordura visceral, a mais perigosa porque se acumula na cavidade abdominal, ao redor dos órgãos principais. Esses ratos também mostraram um aumento nos níveis de glicose no sangue e insulina.

Inesperadamente, a perda de gordura não foi associada com menor ingestão de alimentos ou metabolismo mais rápido. Em vez disso, os pesquisadores descobriram que o TSLP estimulou o sistema imunológico a liberar lipídios através das glândulas sebáceas, que produzem suor oleoso na pele.

“Quando olhei para os camundongos tratados com TSLP, percebi que eles brilhavam na luz. Sempre soube exatamente quais camundongos foram tratados, porque eles eram muito mais brilhantes do que os outros”, observou o cientista, Taku Kambayashi.

Para testar a teoria, os pesquisadores rasparam os camundongos tratados com TSLP e extraíram os óleos de seus pelos. Eles descobriram que a hipótese de Kambayashi estava correta: a pelagem brilhante continha lipídios específicos do sebo.

Isso confirmou que a liberação de óleos pela pele era responsável pela perda de gordura, induzida pelo TSLP.

“Esta foi uma descoberta totalmente imprevista, mas mostramos que a perda de gordura pode ser alcançada secretando calorias através da pele, na forma de sebo rico em energia”, disse Kambayashi.

Os pesquisadores encontraram uma ligação entre a atividade do TSLP e as glândulas sebáceas da pele humana saudável. Os pesquisadores acreditam que a perda seletiva de gordura pode ser alcançada em humanos, embora a implementação de tais métodos não seja fácil.

“Não acho que controlamos nosso peso naturalmente regulando a produção de sebo, mas é possível que possamos acelerar o processo e aumentar essa produção para induzir a perda de gordura. Isso pode abrir caminho para novas estratégias terapêuticas para reverter a obesidade e a gordura “, concluiu Kambayashi.

Comente