Empresa que transforma CO₂ em metanol “verde” chega a China

A empresa islandesa Carbon Recycling International (CRI), desenvolveu uma tecnologia que converte dióxido de carbono (CO₂) e hidrogênio (H2) em metanol “verde”.

A CRI agora adquiriu a empresa petroquímica chinesa Jiangsu Sailboat, que usará a tecnologia para reciclar 150.000 toneladas de CO 2 e 20.000 toneladas de H2 de sua produção industrial anual.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Empresa-que-transforma-CO₂-e-H2-em-metanol-verde-chega-a-China.jpg

Por ano, vão ser 100 mil toneladas de metanol reciclado, que é a matéria-prima mais importante na produção da empresa chinesa de diversos produtos plásticos e poliméricos, como painéis solares e plexiglass. O carbono-metanol reciclado substituirá partes da necessidade de carvão da fábrica.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Empresa-que-transforma-CO₂-e-H2-em-metanol-verde-chega-a-China.jpg

A China caminha a passos largos para se tornar um país verde, como já mostrei aqui. Enquanto isso, o Brasil continua destruindo suas florestas.

De acordo com o CRI, somente a recuperação de CO₂ desse contrato tem um efeito equivalente a tirar 53.000 carros movidos a combustível fóssil das estradas. – Se você comparar a redução do uso de produtos fósseis, o benefício para o clima chega a 550.000 toneladas de CO₂ por ano, diz o Ingolfur Gudmundsson, da CRI. O custo do projeto é estimado em cerca de 35 milhões de dólares.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Empresa-que-transforma-CO₂-e-H2-em-metanol-verde-chega-a-China.jpg

O mercado mundial de metanol é de 100 milhões de toneladas anuais, e metade disso vem da China. Ao mesmo tempo, espera-se uma necessidade de 400 milhões de toneladas de metanol verde e sustentável para atender à demanda do setor de produtos químicos até 2050, diz Sigurbjørnsson. Agora, eles planejam entrar na Euronext Growth ainda esse ano.

Comente