Sexo casual está causando danos ambientais na Espanha


As dunas de Maspalomas na Gran Canaria são conhecidas nos chamados ambientes de cruzeiro, onde os homens procuram encontros sexuais anônimos com outros homens.

Cinco pesquisadores da Universidade de Las Palmas em Gran Canaria e da Flinders University em Adelaide, Austrália, publicaram um estudo desanimador.

O estudo foi denominado “Areia, sol, mar e sexo” e está publicado na revista ambiental Journal of Environmental Management e concluiu que sexo casual especialmente entre homens está destruindo o meio ambiente do local.

Em 1987, as autoridades das Canárias declararam que as Dunas de Maspalomas, localizadas perto da praia, são uma área natural protegida. Só é permitido circular em áreas demarcadas da reserva, mas os praticantes do sexo casual não respeitam essa regra.

Sexo casual está causando danos ambientais na Espanha

Os pesquisadores descobriram até 298 pontos de encontro de sexo espalhados pelos 5.800 metros quadrados, e a maioria dos pontos de encontro ficava em áreas com vegetação densa.

O professor diz que antes do início da pandemia, as Ilhas Canárias recebiam até 14 milhões de turistas por ano. Segundo ele, 15% deles eram homens que iam à praia para fazer sexo casual.

Sexo casual está causando danos ambientais na Espanha
  • O impacto dessas visitas é, infelizmente, grande e crescente. Descobrimos que cerca de 5.800 metros quadrados de dunas foram completamente transformados por pessoas em busca de sexo, escreve ele.

Ele escreve que pontas de cigarro e preservativos se tornaram um grande problema, além de arbustos e galhos usados para fazer “ninhos” para o sexo.

“Lagartos-canários comedores de água-viva morreram depois de comer preservativos deixados por caçadores de prazer”, escreve ele

O professor Hesp conclui a postagem dizendo que há esperança – se as autoridades e os proprietários dos hotéis ao redor da praia agirem e alertarem os hóspedes contra os danos ao meio ambiente pelo sexo.

Sexo casual está causando danos ambientais na Espanha

Ao The Independent, o professor Hesp diz que é muito importante que as autoridades agora acompanhem o desenvolvimento em Maspalomas.

Comente